Dê ouvidos à Palavra de Deus!
Ouça e pratique essa Palavra! Tolo é quem não o faz!
Ouça a Palavra de Deus, creia na Palavra e guarde-a em seu coração.
Esteja enraizado nela, e a coroa da vitória lhe está garantida!,
“Permaneça em vós o que ouvistes desde o princípio. Se em vós permanecer o que desde o princípio ouvistes, também permanecereis vós no Filho e no Pai” (1 Jo 2.24).



Enganosa é a beleza e vã a formosura, mas a mulher que teme ao Senhor, essa sim será louvada. Provérvios 31:30

Web Radio Gospel Da Covilha - ((( Portugal))) Sua Amiga De Todos As Horas

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Mateus 7:3-5


(Leia aqui)


PENSAMENTO:

   Jesus gostava de hipérbole, aquele exagero usado para dar
ênfase. Aqui o ponto é quase cômico. A figura do objeto no olho
deixa mais claro seu ponto em versículos 1-2. Para uma pessoa
enxergar um cisco no olho do outro ela deve estar extremamente
próxima e procurando alguma falha. Para que ela estaria chegando
tão perto e procurando erros? O que Jesus está condenando é o
espírito crítico, a atitude que só consegue enxergar falhas nos
outros ou que, vendo erros, logo julga a pessoa com severidade. É
uma verdade geral que a pessoa que habitualmente julga os outros
com todo rigor ainda não enxergou quão grande são suas próprias
falhas. Embora haja pessoas que excedem nisso, a maioria de nós
ainda “costumamos ver nossa própria injustiça com lente de redução,
enquanto a do outro com lente de aumento” como notou Fritz
Rienecker. A solução é olhar os outros com a misericórdia que
queremos que Deus use para conosco. Duas coisas que não devemos
julgar são os motivos dos outros (1 Cor 4:5), e questões de costume
e opinião pessoal (Rom 14:1-8). Quando houver erro vamos agir com
mansidão (Gl 6:1) e julgar com misericórdia (Col 3:13). E vamos
começar olhando primeiro para nós. Quando reparamos o quanto há
para mudar em nós mesmos, vamos estar bem mais aptos para ajudar
outros.

ORAÇÃO:

   Gracioso Pai, como eu preciso olhar mais de perto para meus
próprios erros. É tão fácil julgar os outros e esquecer dos meus
pecados. Na medida que eu vejo as falhas dos outros, que eu possa
enxergar o que eu espero que o Senhor veja quando olha para mim –
um filho amado. Conceda a todos nós um espírito quebrantado e
arrependido. Só o Senhor pode fazer isso. Em nome de Jesus oramos.
Amém.

quarta-feira, 13 de junho de 2012

Mateus 6:16-18


(Leia aqui)


PENSAMENTO

O jejum, a oração, e a ajuda a pessoas necessitadas são todos
serviços que devem ser prestados a Deus - para seu agrado, para seu
propósito e para sua honra. Mas, quando nós nos preocupamos como o
reconhecimento de homens pelo nosso serviço, quem recebe a atenção
e honra somos nós. O Serviço Secreto do governo dos EUA tem como um
dos seus principais objetivos a proteção do Presidente, seus
familiares e outros governantes importantes. O aspecto “secreto”
deste grupo não se refere a um trabalho oculto como espionagem,
porém, à discreção dos agentes ao desempenhar seu trabalho. Os
agentes desse serviço trabalham sem uniforme, em traje comum.
Grande parte do sucesso do trabalho deles depende justamente deles
não serem vistos. O Presidente pode aparecer, e muitos vão dar
atenção a ele. Mas, os homens que servem a ele não devem aparecer.
Ao contrário, devem ser invisíveis. Podemos olhar para nosso
serviço Cristão de forma parecida. Para que o Rei receba a atenção
e para que a glória seja dada a Deus, nós temos que fazer o nosso
serviço em secreto. Caso contrário, quem chama a atenção somos nós.
Quem recebe a glória somos nós. Então temos que decidir quem deve
receber a glória e de quem queremos receber nosso reconhecimento.
Como vai seu serviço secreto?

ORAÇÃO:

   Maravilhoso Deus, o Senhor merece toda honra e glória. Ajude-me
a mostrar que qualquer coisa que há de louvável em mim foi uma
dádiva do Senhor. Que Jesus receba todo o reconhecimento que Ele
merece por meio da minha vida. Em nome do Cristo eu oro. Amém.

terça-feira, 12 de junho de 2012

Mateus 6:14-15


(Leia aqui)


PENSAMENTO:

   O ponto de Jesus não é de que Deus nos perdoa em troca do nosso
perdão a outros. Nosso perdão vem somente pela graça de Deus
através do sacrifício de Jesus. Porém, esse perdão traz
consequências para nós. Só conseguimos perdoar quando nós nos
preocupamos mais com a pessoa do que com aquilo que ela fez. Se
Deus levasse em conta a soma de todos os nossos pecados, jamais
seríamos perdoados. Se Ele exigisse justiça pelo efeito dos nossos
pecados – a morte de seu filho Jesus - todos seriam condenados. O
que permite Deus perdoar o culpado de graves pecados, ou salvar um
homem nos últimos momentos da sua vida, como o ladrão na cruz, é
que ele não exige pagamento, nem impõe castigo pelo que fizemos.
Desde que estejamos arrependidos, reconhecendo nosso erro, Deus
está pronto para perdoar – de imediato e por completo. Por quê?
Porque o sentimento predominante em Deus para conosco é amor (Efe
4:32; Col 3:13). Quando nós conhecemos esse amor e ele começa a
crescer em nós, o perdão se torna cada vez mais natural. Perdoar
não é fácil. Perdoar dói na medida que fomos injustiçados ou
machucados. Perdoar é libertar a pessoa, soltá-la, livrá-la de ter
que pagar ou sofrer como nós sofremos. Ainda quando a pessoa
reconhece o erro e pede desculpas sinceramente, parece injusto.
Mas, alguém disse que quando perdoamos um outro, nós soltamos um
prisioneiro e só depois descobrimos que nós é que éramos o
prisioneiro. Você está pronto para ficar livre? Solte o outro, e
você também estará se libertando.

ORAÇÃO:

   Bendito Deus, não mereço tamanho perdão como o Senhor me deu em
Cristo Jesus. Mas, quero viver uma vida de gratidão, provando pelo
meu perdão aos outros o quanto sou grato ao Senhor. Em nome de
Jesus lhe agradeço. Amém.